Você está aqui: Página Inicial > Sipron > Exercícios de Emergência Nuclear

Exercícios de Emergência Nuclear

Desde 2009, o Sipron supervisiona vários exercícios que executam o planejamento existente para implementar uma resposta a determinada situação de emergência, tanto  na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), quanto no transporte de combustível nuclear.

A realização desses exercícios constitui um marco na preparação para tais emergências no Brasil, por integrar organizações públicas e privadas nos âmbitos municipal, estadual e federal. Os exercícios têm priorizado a vertente operacional do Plano de Emergência Externo do Governo do Estado do Rio de Janeiro (PEE/RJ), com a aplicação de medidas de proteção, como, por exemplo, a evacuação da população local.

A periodicidade na realização dos exercícios é anual, sendo do tipo Parcial nos anos pares e do tipo Geral nos anos ímpares, sob a coordenação do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Neles são testadas as decisões referentes às ações previstas na NG-06 (Norma Geral para Instalação e Funcionamento dos Centros encarregados da Resposta a uma Situação de Emergência Nuclear), no Plano de Emergência Local (PEL) da ELETRONUCLEAR, no Plano para Situações de Emergência (PSE) da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), no Plano de Emergência Externo do Governo do Estado do Rio de Janeiro (PEE/RJ), no Plano de Emergência Municipal (PEM) da Prefeitura Municipal de Angra dos Reis e nos Planos de Emergência Complementares (PEC) dos Órgãos integrantes do Sipron.

São exercitadas, ainda, as atividades que visam à verificação da cadeia de comunicações, da capacidade de mobilização de meios, pessoal e material, além da disseminação de informações, por intermédio das campanhas de esclarecimento prévio que se destinam a esclarecer ao público sobre as medidas de proteção da população e do meio ambiente.

Em 2012 foi realizado o Exercício Parcial de Resposta à Emergência Nuclear (Expar-Angra/2012) onde foi testada a eficácia da cadeia de comunicações do Plano de Emergência Externo do Estado do Rio de Janeiro (PEE/RJ). O cenário da simulação foi composto por várias anormalidades (situação fictícia), criadas de maneira que caracterizassem as classes de emergência, tornando-se uma operação complexa que envolveu diversas entidades.

De maneira inédita, também em 2012, em Resende, foi realizado o 1º Exercício Parcial de Resposta à Emergência Nuclear (Expar-Resende/2012) visando testar a eficácia do Plano de Apoio Externo para a Fábrica de Combustível Nuclear das Indústrias Nucleares do Brasil S.A. (PAE-FCN/INB). O cenário da simulação previa bloqueios e interdição da rodovia por movimentos populares reivindicatórios, eventos classificados como emergência de área pelo Plano de Emergência da FCN.

Da mesma forma, em 2013, ocorreu o 1º Exercício Geral de Emergência no Transporte de Material Nuclear, em Resende, com o propósito de avaliar e aperfeiçoar as normas do sistema.

Em 2014, foi realizado o 2º Exercício Parcial de Emergência no Transporte de Combustível Nuclear, na Escola de Guerra Naval. O cenário da simulação foi composto de demandas jurídicas, bloqueios e interdição da rodovia por movimentos populares reivindicatórios.

O ano de 2015 destacou-se pela realização de dois exercícios gerais, sendo um de transporte de combustível nuclear, em Resende/RJ, e outro na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis/RJ. Este último foi o maior exercício de emergência em centrais nucleares já realizado no país, com a participação de mais de 1000 profissionais pertencentes a 60 instituições diferentes, o que comprovou o elevado grau de coordenação e conhecimento técnico no enfrentamento de situações imprevistas.

Exercícios realizados

- Gerais:

  • Novembro de 1999 - 4 observadores internacionais
  • Novembro de 2001 - 3 observadores internacionais
  • Julho de 2003 - 2 observadores internacionais
  • Outubro de 2005
  • Outubro de 2007
  • Outubro de 2009 - 12 observadores internacionais de 8 países
  • Agosto/Setembro de 2011 - 15 observadores internacionais de 8 países
  • Junho de 2013 (FCN/INB)
  • Setembro de 2013
  • Setembro de 2015

 

- Parciais:

  • Setembro de 2000
  • Outubro de 2001
  • Setembro de 2002 - 11 observadores internacionais
  • Outubro de 2004 - 1 observador internacional
  • Outubro de 2006
  • Outubro de 2008
  • Setembro de 2010
  • Outubro de 2012
  • Abril de 2014 (FCN/INB)
  • Setembro de 2015 (FCN/INB)